Ponte faz último treino antes de enfrentar o Palmeiras e Kleina alerta: jogo do Paulistão é passado, mas postura tem que ser a mesma

0
163
views
Ponte Preta
Foto:PontePress/FábioLeoni

O elenco pontepretano fez na manhã deste sábado (24), no Majestoso,  o último treino antes de enfrentar o Palmeiras amanhã, em partida válida pelo Brasileirão. Se mantiver os 100% de aproveitamento no Moisés Lucarelli, a Macaca pode finalizar a rodada dentro do G4 e o técnico Gilson Kleina quer atenção e foco total dos atletas – por sinal, o treinador não terá desfalques para o embate.  E para os que relembram da goleada da Ponte Preta sobre o adversário, nas semifinais do Paulistão, Kleina alerta:  aquele jogo ficou no passado e a conquista de nova vitória amanhã exigirá postura, dedicação e garra em campo.

“Naquele confronto nossa equipe foi muito competente de ter feito o placar e uma vantagem muito boa. Era outro regulamento, outro espírito de competição, mas a postura e a vontade de vencer que tivemos na época têm que ser a mesma. É inegável que hoje o Palmeiras é um dos grandes investimentos dentro do futebol da América, não só do Brasil. A gente sabe o que o Palmeiras representa no campeonato brasileiro, jogadores qualificados, mas confio muito no que a Ponte vem fazendo, no que ela executa dentro do Majestoso, onde ela é muito forte”, diz.

O treinador acrescenta que os atletas estão assimilando a atitude vencedora. “E eles jogam com muita dedicação, com muito entrega. Eu acho que esse tipo de partida que faremos amanhã necessita esse tipo de espírito para que nós, mais uma vez, possamos ser competentes e manter o pensamento positivo. E espero que o nosso torcedor possa comparecer ainda mais, para que a gente possa ter mais força para enfrentar uma equipe desse nível”, pontua.

Kleina não acredita que um “espírito de vingança” irá motivar o Palmeiras no embate. “Com certeza alguém pode falar desse resultado que aconteceu da última vez que o Palmeiras pisou aqui, mas cada jogo é um jogo, né? O fato de você evidentemente colocar um revanchismo em cima disso não vai fazer com que a situação possa ter um valor técnico maior. E se nós competirmos  e tivermos vontade, por mais que eles possam vir com esse sentimento, acho que as coisas têm que se igualar,  é nesse nível que a gente tem que pensar em fazer um jogo forte como tem feito dentro de casa, tentarmos manter nosso nível de concentração que é super importante no campeonato de pontos corridos”, diz.

Sem nenhum atleta suspenso ou lesionado, o treinador espera apenas que os integrantes do elenco estejam recuperados do desgaste físico após a vitória sobre o Cruzeiro, na noite de quinta. “Minha expectativa é que nossos jogadores também possam estar recuperados, para que a gente possa colocar a melhor equipe para enfrentar o Palmeiras, e dentro disso a gente vai poder ter um desenvolvimento de execução naquele nível que a gente está tendo de atuação”, diz.

Ele reforça que a meta é contar com todos, entre eles Emerson Sheik, mas isso será avaliado até o momento da partida. “Você vê o que é um jogador que quando está com um nível de concentração, com o foco só na partida. O jogo passado tinha acabado e o Sheik estava lá ainda, brigando pela bola, isso mostra o espírito que ele consegue passar pra todo o grupo. E isso contagia, tem que ser dessa maneira mesmo. Um atleta que ganhou tudo na vida, um super vencedor e trouxe essa mentalidade pra nós. Que ele possa continuar assim. Todos estão de parabéns, eu estou pegando ele como uma referência. Espero que eu possa contar com todos, são jogadores importantes, mas hoje existem vários departamentos que eu também tenho que respeitar. Então espero que ele possa reunir condições, porque ele é um jogador de grande valia dento do nosso planejamento, mas vamos aguardar.”

Contudo, ele acrescenta que o ideal seria mesmo repetir o time que atuou contra o Cruzeiro. “Entendo que a manutenção da base é onde você consegue ter o conjunto, onde você eleva o entrosamento. Elevando o entrosamento, tecnicamente o jogo se desenvolve de uma forma mais, não digo natural, mas com mais dinâmica: eles já se conhecem, já sabem como a gente pode usar a característica de cada um, o posicionamento. Então eu entendo que você agrega valores mais importantes para você ter o jogo propriamente dito”, finaliza.

via portal pontepreta.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here